18/06/2012

OFICINA DE CHÁ (INFUSÃO, DECOCÇÃO E MACERAÇÃO)

Aconteceu na tarde desta segunda-feira, na copa do CMS Nagin Jorge Farah, mais um dia de atividades do Programa de Plantas Medicinais e Fitoterapia da SMSDC-RJ. Agora foi a vez da oficina de chás realizada pelas profissionais de agronomia Silvia Michelle e Aliane, que explicaram às residentes Luizangela e Aline, ao farmacêutico Carlos e a representantes da Pastoral da Criança (parceira da nossa unidade) em que ocasião se deve usar os diferentes modos de preparo dos chás como infusão, decocção e maceração.
Foi explicado para os participantes a importância de se utilizar o modo de preparo correto de acordo com o tipo de planta ou erva escolhida, como por exemplo, quando se utilizar plantas finas aromáticas ou flores utiliza-se à infusão por 10 minutos com fogo desligado e o processo mais indicado para cascas e folhas mais grossas é a decocção.
Também fomentaram a necessidade de utilizar utensílios de vidro, inox ou esmaltado, pois estes não liberam toxinas e que os chás não devem ser armazenados por mais de um dia para se evitar a contaminação.
A próxima oficina está marcada para dia 2 de julho com o tema:  "tintura e alcoolatura".







Chás –  Conceito e modo de preparo
Em casa, as plantas medicinais podem ser preparadas em sua forma mais popularmente conhecida: o chá. No entanto, ainda há muitas dúvidas na preparação do chá.
Na verdade, a palavra chá é utilizada de uma forma equivocada. O chá propriamente dito é o nome dado à bebida preparada a partir do vegetal chamado Camelia sinensis ou Thea sinensis, mais popularmente conhecido como chá verde. Porém, este nome foi associado de uma forma popular à qualquer bebida feita com água fervente e vegetais.
Os nomes corretos para estes preparados são Infuso e Decocção.
Infusão ou maceração em água quente - conceito
Preparação líquida, onde a água fervente é vertida sobre a erva medicinal fresca ou seca, deixando esta maceração em repouso por tempo determinado.
A infusão em água quente é indicada para ervas que não liberam seus componentes ativos em baixas temperaturas, mas que não podem ser fervidas, pois, dessa forma, podem perder suas propriedades medicinais.
Plantas que possuem compostos voláteis devem passar por este método.
Infusão ou maceração em água quente – modo de preparo
Separar a medida de 1 colher de sobremesa ou a quantidade prescrita ou indicada da(s) erva(s) a ser(em) macerada(s). (Quando a planta estiver na forma de pó, colocar 1 colher de chá para cada litro de água).
Medir a quantidade desejada, prescrita ou indicada de água mineral ou filtrada, lembrando que a quantidade de erva não influi na terapêutica.
Colocar a água no recipiente de aquecimento e aquecer a água até a fervura e desligar o aquecimento.
Adicionar imediatamente a(s) erva(s).
Mexer suavemente, com o auxílio da espátula e tampar imediatamente o recipiente, deixando o infuso descansando por 10 a 15 minutos.
Com o auxílio do coador ou da peneira, coar o infuso, passando-o para o recipiente que será utilizado na administração da preparação, pressionando as ervas com a espátula, de forma que saia o excesso de água retido dentro da erva.
Decocção - conceito
É a fervura por tempo determinado de ervas medicinais frescas ou desidratadas em água ou outro líquido extrator.
Preparação indicada para ervas que não liberam seus componentes ativos em baixas temperaturas.
Não indicada para ervas com compostos voláteis ou com compostos que se degradam em altas temperaturas.
Decocção – modo de preparo
Separar a medida de 1 colher de sobremesa ou a quantidade prescrita ou indicada da erva a ser decocta. (Quando a planta estiver na forma de pó, colocar 1 colher de chá para cada litro de água).
Medir a quantidade desejada, prescrita ou indicada de água mineral ou filtrada, lembrando que a quantidade de erva não influi na terapêutica. Geralmente utiliza-se a quantidade de 1 xícara de água.
No recipiente de aquecimento (vidro, ágata ou porcelana), misturar a(s) erva(s) à água e mexer suavemente, com o auxílio de uma espátula.
Quando atingir a ebulição (em torno de 100ºC), permanecer em fogo baixo, com o recipiente tampado, por 5 a 7 minutos.
Desligar o aquecimento.
Aguardar o resfriamento ou deixar resfriando até atingir a temperatura desejada.
Com o auxílio do coador ou da peneira, coar o decocto, passando-o para o recipiente que será utilizado na administração da preparação, pressionando as ervas com a espátula, de forma que saia o excesso de água retido dentro da erva.
Caso seja necessário, o volume pode ser ajustado neste momento.
Possibilidades de uso do infuso e do decocto
O infuso e o decocto podem ser utilizados no preparo de: Bebidas, Gargarejos, Banhos, Cataplasmas, Compressas, Inalações e Lavagens. (Fonte: Fitoterapia. Disponível em: <http://www.fitoterapia.com.br/portal/index.php?option=com_content&task=view&id=138>. Acesso em 18 de junho de 2012.



Reações:

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Loading...
"As postagens e comentários aqui publicados são de responsabilidade única e exclusiva de seus autores.Os editores reservam-se o direito de excluir conteúdo ofensivo ou meramente promocional."